Mensagem da Presidência

Epilepsia, você sabe o que é?

A epilepsia é do ponto de vista conceitual, segundo a Liga Internacional Contra a Epilepsia (ILAE), um distúrbio de origem cerebral causado pela predisposição a gerar crises epilépticas e pelas conseqüências biológicas, psicológicas e sociais da condição (ILAE, 2005). Crise epiléptica descrita por H. Jackson, em 1873, é um sintoma, causado por grande instabilidade elétrica de algumas células cerebrais. Portanto a epilepsia pode ter várias causas, que levam à anormalidade desse grupo de células do sistema nervoso.

Estima-se que cerca de 2% da população mundial tenha epilepsia, número que pode ser maior em países em desenvolvimento. Apesar da maioria das pessoas, cerca de 70%, apresentarem formas benignas, que serão tratadas e controladas apenas com um tipo de medicação, assim como diabetes, hipertensão arterial, etc, ainda há muito sofrimento perante o impacto do diagnóstico e suas conseqüências.

Desde há muito tempo, a epilepsia vem sendo estudada, no entanto infelizmente ainda predomina a falta de conhecimento junto à sociedade, que muitas vezes não confere às pessoas com epilepsia as mesmas oportunidades das outras. Sabe-se que a maioria dos indivíduos com epilepsia tem inteligência normal e alguns tornam-se até grandes expoentes em suas épocas, como o caso de Flaubert, Dostoiévski, Machado de Assis, etc. Mas na prática, sabemos o quanto é difícil encontrar tratamento adequado, medicamentos, e não ser discriminado socialmente, seja no emprego ou nos relacionamentos.

A associação Brasileira de Epilepsia (ABE), é uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), que faz parte do International Bureau of Epilepsy (IBE),e é composta por profissionais da área de saúde, pessoas com epilepsia, seus familiares e voluntários. A ABEvem mantendo ao longo dos anos um programa de divulgação junto à sociedade sobre as dúvidas mais comuns relacionadas ao tema. A concretização deste projeto necessita da ajuda dos mais diversos setores, desde de pessoas interessadas no voluntariado, até de instituições públicas e privadas.

A fim de dar continuidade ao projeto da ILAE, “Epilepsia fora das sombras”, a ABE pretende tornar ao alcance do maior número de pessoas, material didático e expositivo sobre epilepsia através de mídia digital e reuniões presenciais, assim como, formar articulações que promovam os direitos das pessoas com epilepsia, desde aquisição de medicamentos até sua completa inserção social.

Se você tem interesse em ajudar, junte-se a nós, desde o envio de ideias por e-mail, ou frequentando nossos eventos, quando teremos a oportunidade de trocar experiências e conversar sobre a epilepsia!

A educação da sociedade começa dentro de cada um de nós!

Um grande abraço,
Dra. Laura Guilhoto