Estimulador do nervo vago (VNS)

Estimulador do nervo vago (VNS)

Para ter certeza que o paciente tenha o melhor tratamento possível, é importante trabalhar

como uma equipe – o cuidador, o paciente e o médico – com o mesmo objetivo: ajudar o paciente a melhorar sua qualidade de vida proporcionando o melhor controle possível das crises, com os menores efeitos colaterais possíveis. É esta equipe que decidirá se é o momento de considerar a Terapia VNS.

 

No ano de 1994 o acesso a Terapia VNS foi disponibilizada à pacientes com Epilepsia Refratária na Europa, ao obter o Certificado de Registro do Produto para comercialização na União Europeia, o CE Mark (Certificado de Registro do produto para Marca CE). Em 1997 a terapia foi aprovada nos Estados Unidos pelo FDA (Food and Drog Administration). E chegou ao Brasil, no ano de 2000, registrada pelo Ministério da Saúde / ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

 

A Terapia VNS utiliza impulsos elétricos para ajudar a prevenir crises de epilepsia com os mínimos efeitos colaterais possíveis visando proporcionar uma melhora na qualidade de vida das pessoas com epilepsia.

 

O principal relato de pais e cuidadores são de que com a Terapia VNS a pessoa com epilepsia de “difícil controle” obtem melhoras significativas nas habilidades de aprender, integrar-se socialmente e estudar.

 

Vantagens da Terapia VNS

 

• A Terapia VNS programada acompanhará o paciente o dia inteiro, todos os dias atuando para redução das crises,

• Possibilita a melhora na qualidade de vida do paciente,

• Oferece benefícios duradouros,

• Tem mínimos efeitos colaterais,

• Proporciona às pessoas com epilepsia um sentimento de controle da sua própria vida.

 

Como funciona a Terapia VNS

 

A Terapia VNS usa um Gerador, pequeno aparelho médico, que através de um Condutor envia minúsculos impulsos elétricos ao Eletrodo ligado ao nervo vago esquerdo situado no pescoço.

homem_verde.gif

O nervo vago é um grande elo de comunicação entre o corpo e o cérebro, responsável por enviar impulsos às partes do cérebro.

 

A Terapia VNS atua ajudando a prevenir as irregularidades elétricas que causam as crises.

Procedimento de implante da Terapia VNS

 

• O procedimento da Terapia VNS não envolve cirurgia cerebral.

• A cirurgia, rápida e simples, geralmente é realizado sob anestesia geral que pode requerer uma curta estadia no hospital.

• Através de uma pequena incisão o Gerador de pulso, é implantado sob a pele abaixo da clavícula esquerda ou próximo da axila esquerda.

• Uma segunda incisão pequena é efetuada no pescoço para fixar dois pequenos Eletrodos ao nervo vago esquerdo. Os Eletrodos são ligados ao Gerador por um Condutor sob a pele.

• Após a cirurgia, além das duas pequenas cicatrizes devido às incisões, quase não se pode notar o Gerador que apresenta apenas uma leve elevação na pele do peito onde foi implantado.

 

Acompanhamento da Terapia VNS

 

O gerador da Terapia VNS, que gera pequenos impulsos elétricos automaticamente 24 horas

por dia, é ligado duas semanas depois da cirurgia, e programado pelo médico com a frequência adequada à necessidade do paciente.

 

A programação é efetuada por um Pager conectado à uma ferramenta que é posicionada sobre o lugar onde o gerador foi implantado.

 

Não produz dor e pode ser feito sobre a roupa. O paciente deverá frequentar regularmente

seu médico para acompanhar o progresso da terapia.

 

É importante o registro das crises

 

Para pessoas com Epilepsia registrar a frequência das crises é muito importante como forma de verificar a eficácia de sua terapia.

 

O registro diário ajuda acompanhar como o paciente se sente, tanto fisicamente quanto emocionalmente, considerando fatores como: disposição, sentido de alerta, habilidade de concentração e a visão geral sobre a vida.

 

Compartilhando estas anotações com o médico poderá ajudar a avaliar a evolução mensurando as melhoras conquistadas com a Terapia VNS ao longo do tempo.

 

Controle Extra

 

Proporcionando um maior controle sobre a Terapia VNS o paciente recebe um Ímã

Especial, com o qual o paciente ou seu cuidador ao sentir a chegada de uma crise ou

quando estiver em crise, ao passar o Ímã Especial sobre o gerador da Terapia VNS possibilita:

 

• Parar a crise;

• Diminuir o tempo da crise;

• Diminuir a severidade da crise;

• Melhorar o período de recuperação/pós-ictal.

 

Como parar a estimulação?

 

O Ímã Especial da Terapia VNS pode ser usado para parar temporariamente a estimulação

da Terapia VNS evitando quaisquer efeitos colaterais causados pela terapia, como por exemplo, a mudança no tom de voz ao falar, cantar em público ou durante um exame oral.

 

O ímã deve ser colocado sobre o gerador da Terapia VNS interrompendo a estimulação. Pode

ser fixado no peito parando a estimulação pelo período que desejar.

 

O gerador de Terapia VNS não estimulará enquanto o Ímã estiver em cima. Ao remover o Ímã de cima do gerador, a Terapia VNS retorna ao funcionamento normal.

 

É fácil viver com a Terapia VNS

 

• O médico programa o aparelho da Terapia VNS do paciente para proporcionar

automaticamente terapia por 24 horas todos os dias.

 

• Não há necessidade de se preocupar com relação a interação da terapia com os

medicamentos.

 

• O Ímã Especial da Terapia VNS proporciona uma ajuda adicional para controlar

as crises.

 

• A bateria do gerador da Terapia VNS dura, em média, de 4 a 7 anos* dependendo da programação dos estímulos. A troca do aparelho da Terapia VNS é realizada em uma cirurgia simples, na qual é substituído o gerador implantado no tórax por um novo. A cada quatro pacientes três optam pela cirurgia de troca do aparelho da Terapia VNS, o que sugere a preferência dos pacientes pela Terapia VNS, valorizando os benefícios do controle das crises e

a qualidade de vida que foi conquistada com a terapia.

 

A Terapia VNS traz alívio das crises

 

A Terapia VNS pode reduzir a frequência das crises na maioria dos casos. Em geral, estudos clínicos com pacientes da Terapia VNS constataram estatisticamente uma redução significativa na frequência das crises.

 

Os estudos demonstram também que os efeitos positivos da Terapia VNS não perdem sua efetividade, podendo até melhorar ao longo do tempo.

 

Converse com o seu médico sobre a indicação e a expectativa em seu caso.

 

* Pacientes estimulados com valores altos de estimulação podem ter uma bateria com menor duração.

 

Melhorando a qualidade de vida todos os dias

 

Além de apresentar crises em menor quantidade e menos severas, pacientes da Terapia VNS, seus pais, acompanhantes e médicos também relatam melhoras no:

 

• Humor,

• Sentido de alerta,

• Habilidades verbais,

• Memória,

• Realizações na escola.

 

Esta melhora na qualidade de vida deve-se ao maior controle das crises. Em alguns casos, pacientes e médicos relatam uma redução no número e/ou dose das medicações com o passar do tempo.

 

A Terapia VNS – Informações

 

Os pacientes se adaptam muito bem a Terapia VNS, até mesmo as crianças.

Geralmente os efeitos colaterais da Terapia VNS podem ser amenizados com o tempo.

Equipamentos elétricos e eletrônicos

 

Aparelhos Pequenos:

 

Forno de micro-ondas e outros pequenos aparelhos elétricos não devem afetar o gerador da Terapia VNS.

 

Telefones Celulares:

 

Baseado em testes, telefones celulares não afetam o gerador da Terapia VNS.

 

Sistema de Segurança dos Aeroportos:

 

Os aparelhos do sistema de segurança dos aeroportos não devem afetar o gerador da Terapia VNS ou serem afetados por ele.

 

Diatermia Terapêutica:

 

É necessário informar o profissional da saúde que o paciente com Terapia VNS não deve ser exposto ao tratamento com diatermia, seja de: onda curta, micro-ondas ou ultrassom terapêutico.

 

Ressonância Magnética:

 

São necessários cuidados especiais ao submeter o paciente com a Terapia VNS a uma Ressonância Magnética. O médico deverá consultar o Manual do Médico da Terapia VNS para mais informações.

 

Procedimentos Cirúrgicos:

 

Antes de submeter-se a qualquer procedimento médico, o paciente implantado com a Terapia

VNS deve notificar ao serviço médico que possui um gerador da Terapia VNS. Deve ser evitado o uso de bisturi elétrico.

 

Mais vida para você e sua família

 

Agradecemos pelo seu interesse na Terapia VNS. É importante que se sintam perfeitamente à vontade na sua decisão pela Terapia VNS.

Se precisar de mais informações sobre a Terapia VNS, fale com seu médico. E lembre-se que a epilepsia nunca deve ser uma barreira para viver uma vida completa e feliz!

 

Perguntas mais frequentes

 

A respeito da SEGURANÇA

 

A Terapia VNS foi clinicamente testada para proporcionar uma terapia segura por um longo período. Desde 1994 pacientes no mundo inteiro, de todas as idades e com tipos de epilepsia variados, têm sido tratados com sucesso com a Terapia VNS. A Terapia VNS é até mesmo segura para mulheres que sofrem de epilepsia em idade de ter filhos.

 

Meu filho necessitará da sua MEDICAÇÃO antiepilética?

 

Isso dependerá dos resultados da Terapia VNS e da avaliação médica, que poderá preferir manter a medicação sem mudanças. Há relatos com a redução no número e/ou dose das medicações, no entanto, poderá ser necessário continuar com a medicação antiepiléptica juntamente com a Terapia VNS.

 

O que acontece se não obtiver algum RESULTADO depois de algumas semanas?

 

Os benefícios da Terapia VNS são notados gradualmente ao longo dos dois primeiros anos de tratamento. Estudos clínicos ainda apontam que a efetividade da Terapia VNS se mantém com o tempo.

 

O aparelho da Terapia VNS deverá ser TROCADO?

 

Sim. O gerador precisa ser trocado aproximadamente de cada 4 a 7 anos. Quanto mais alta a frequência e a corrente de saída da estimulação, mais rapidamente a bateria terminará. O médico informará quando a bateria estiver acabando, através da leitura do aparelho da Terapia VNS.

 

Quais são as ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES?

 

Consulte um médico especialista para avaliar se há indicação da Terapia VNS.

 

Onde posso obter MAIS INFORMAÇÕES sobre a Terapia VNS?

 

Acesse os sites: www.politecsaude.com.br ou www.vnstherapy.com. E consulte seu médico para avaliar a indicação.