A instituição

As epilepsias constituem o distúrbio neurológico crônico mais comum. Estima-se que existam atualmente cerca de 8.000.000 de pessoas com epilepsia na America Latina, sendo que cerca de 3.500.000 delas não recebem tratamento médico adequado.

As repercussões sociais e psicológicas das epilepsias são enormes, assim como os problemas enfrentados pelos pacientes e seus familiares. A estigmatização, discriminação e preconceitos enfrentados por eles dificulta a inserção na sociedade, principalmente no que se refere a obtenção e manutenção de empregos e relacionamento interpessoal, o que leva a dificuldades econômicas para a obtenção dos medicamentos antipilépticos.

Sabe-se que, com o tratamento médico adequado, a maioria dos pacientes (75%) tem evolução favorável, com controle das crises epilépticas e melhora da qualidade de vida.

A ABE é uma sociedade sem fins lucrativos, que se estabeleceu como organização interessada em divulgar conhecimentos relativos às epilepsias e disposta a promover a melhora da qualidade de vida das pessoas com epilepsia. A ABE faz parte do International Bureau for Epilepsy e é composta por pacientes, seus familiares, médicos, neurocientistas e outros profissionais da área de saúde.

Nossos objetivos principais são:

  • Promover o entendimento geral das epilepsias;
  • Disseminar conhecimentos e fornecer subsidios para o melhor entendimento médico e social das epilepsias;
  • Divulgar conhecimentos à população em geral para diminuir o estigma e o preconceito;
  • Formar grupos de auto-ajuda e possibilitar a reabilitação profissional;
  • Lutar pelo fornecimento regular dos medicamentos antiepilépticos nos Postos de Saúde e Hospitais Públicos.

Conheça um pouco mais da história da ABE no link abaixo:
Associação Brasileira de Epilepsia – a história de duas décadas de atuação e serviço à comunidade